Quanto Ganha um Jogador de Futebol – Salário

Tudo depende do talento e da sorte. A diferença de salários dos jogadores de futebol é gritante.



A revista “France Football” publicou recentemente a lista dos jogadores de futebol mais bem pagos do mundo. Entre os milionários do futebol, o argentino Lionel Messi, do Barcelona, está no topo do ranking (recebe anualmente mais de 40 milhões de euros).

Cristiano Ronaldo (Real Madrid), Neymar Júnior (Barcelona), Wayne Rooney (Manchester United), Zlatan Ibrahimovic (PSG), Radamel Falcão Garcia (Mônaco), Sérgio Aguero (Manchester City), Thiago Silva (PSG), Eden Hazard (Chelsea) e Franck Ribery (Bayern) completam o Top Ten, todos ganhando mais de 16 milhões de euros a cada ano.

É difícil calcular estes salários, no entanto. Um jogador de futebol de destaque ganha, além do salário, prêmios de produtividade, luvas e fatura bastante alto em direitos de imagem e contratos publicitários: o céu é o limite.

+ Confira: Quanto Ganha o Messi – Salário e Contratos Publicitários

As diferenças, no entanto, são estratosféricas. No Brasil, em um clube pequeno, o salário dificilmente ultrapassa R$ 5 mil mensais (para os grandes craques). Nos grandes times da primeira divisão do campeonato brasileiro, um jogador ganha até R$ 200 mil por mês. Em média, o valor fica em torno dos R$ 30 mil.

salário de jogador de futebol

Quanto Ganha um Jogador de Futebol?

O desejo de muitos meninos brasileiros que dão verdadeiros shows dos muitos nos muitos campinhos de futebol do país é a profissionalização: um contrato com um “grande” de São Paulo ou no Rio de Janeiro (que jogador não gostaria de ser destaque do Flamengo ou Corinthians, as duas maiores torcidas?), muita badalação, namoros com artistas globais e, quem sabe ser “exportado” para um clube europeu, receber a Bola de Ouro da FIFA, já concedida a Rivaldo, Romário, Ronaldo, Kaká, entre outros.

Mas existe muita diferença entre a realidade e o sonho. A profissão não é regulamentada, geralmente é de curta duração (dificilmente um jogador de futebol continua em atividade depois dos 35 anos) e vale a lei da oferta e da procura.

Receber um salário astronômico durante dez ou 15 anos pode implicar sérias limitações financeiras pelo resto da vida, especialmente se o atleta não tiver com orientação e bom preparo emocional.

Em alguns Estados do país, sindicatos se organizam para garantir alguns benefícios, como piso salarial, 13º salário, férias, seguro de saúde, planos de previdência, etc. No Rio Grande do Sul, o Sindicato dos Atletas Profissionais estabelece a remuneração mínima de pouco mais de R$ 1.000 mensais. No Rio de Janeiro, o salário mínimo é escalonado de acordo com a divisão em que o atleta atua.

O piso salarial, no entanto, é praticamente igual em todo o país. Em 2012, mais de 80% dos jogadores da “paixão nacional” não recebiam mais de dois salários mínimos nacionais (atualmente, pouco menos de R$ 1.600 mensais).

Além do salário, o jogador de futebol ganha luvas (um valor fixo pago no início do contrato), bichos (prêmios pelo bom desempenho em campo), participação no valor do passe (em caso de negociação com outro clube), direito de arena (percentual do que os times recebem pela transmissão dos jogos) e licença do uso da imagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *