Quanto Ganha um Deputado Federal – Salário

Entre salários e benefícios, um deputado federal ganha mais de R$ 146 mil mensais.



Este valor é uma média dos custos dos 513 deputados federais. Há algumas diferenças, como no pagamento de viagens aéreas (de acordo com a distância entre Brasília e a base política do parlamentar). Cada deputado federal ganha um salário mensal de pouco mais de R$ 33,7 mil (valor fixado a partir de 1º de fevereiro de 2015). Além dos 12 salários anuais e do 13º, também são pagos o 14º e 15º salários, no início e encerramento de cada sessão legislativa (em fevereiro e dezembro de cada ano).

Quanto Ganha um Deputado Federal?

salário de deputado

A verba de gabinete é de até R$ 60 mil mensais. Cada deputado federal tem direito de contratar entre cinco e 25 servidores para seu gabinete, mas a soma dos salários não pode ultrapassar o limite da verba, nem ser menores do que o piso fixado.

A verba rescisória é para uso deslocamentos nas unidades da federação. O deputado federal apresenta notas fiscais de gastos com alimentação, transporte e moradia e é reembolsado. Cada parlamentar pode desembolsar até R$ 15 mil a cada mês.

O valor dos carros oficiais é uma incógnita. Têm direito ao uso, com motorista particular, o presidente da Câmara, os outros seis integrantes da Mesa Diretora (apenas vives e secretários; os suplentes não podem usar os veículos), o procurador parlamentar, a procuradora da mulher e o presidente do Conselho de Ética. O modelo escolhido é o Toyota Corolla.

Quais os benefícios para deputados

Deputados federais “sem-teto” – que não conseguiram um apartamento oficial em Brasília – recebem auxílio-moradia de R$ 3 mil mensais. O aluguel médio de um apartamento de três dormitórios na cidade é de R$ 1.700.

A gráfica da Câmara trabalha a todo vapor: cada deputado federal pode mandar imprimir 15.000 folhas A4 e 200 folhas A5 por mês. A cada ano, pode solicitar quatro mil exemplares de pastas com 50 páginas, mil pastas, duas mil folhas de papel ofício, 50 blocos de 100 folhas, cinco mil cartões de visitas, dois mil cartões de cumprimentos, além de cinco mil cartões para o gabinete, somados a outros dois mil em formato duplo.

A cota postal e telefônica é mensal, mas pode ser acumulada para o mês seguinte, caso não tenha sido gasta integralmente. Os deputados federais têm direito a R$ 4.300, enquanto os mais graduados – líderes e vice-líderes, presidentes e vice-presidentes das comissões temáticas e os membros da Mesa Diretora – podem gastar um pouco mais: R$ 5.500. Nos dias úteis, os gabinetes recebem cinco publicações, entre jornais e revistas.

As cotas de passagens aéreas são variáveis, de acordo com a distância. Os deputados federais do Distrito Federal recebem R$ 4.300 por mês, enquanto os representantes do Acre podem desembolsar até R$ 16 mil.

Em resumo, cada deputado federal ganha R$ 147.600 ao mês – e R$ 75.700.000 ao ano, entre salários e demais benefícios. Multiplicando-se este valor pelo total de representantes (são 513 parlamentares), o valor atinge R$ 984.744.200.


11 comentários em “Quanto Ganha um Deputado Federal – Salário

  1. Tem calculo errado ai.Subjetivos.Mas,o governo fez uns cortes na saude e na educação .Infelizmente nao querem colaborar com os gastos deles.E estes politicos que estão ai,não são sérios.O pais precisa de uma reforma politica economica já.Nãoé tirando eles e sim educando todos para o bem comum da nação.É preciso cortar os gastos e reduzir estes salarios.E abrir concursos publicos para os cargos politicos acabar com as eleições.Colocando pessoas graduadas e capacitadas para governar nosso pais para que possamos escrever Pais com letra maiúscula.

    1. Muito boa sua colocaçao, nós pagamos muitos impostos para damos a esses politicos que nos roubam com altos sálarios. Se fosse um pais de politicos sérios eles reduziam todos os sálarios e a quantidade de representantes nas camaras municipais, federais,senado e todos secretários, concurso sim.

  2. Quem terá peito para reduzir os gastos dos políticos sem ser perseguido e perder o cargo. Talvez em Marte encontraremos alguém. Levam 5 meses discutindo como aumentar 4% dos aposentados e em uma noite para aumentar em 70% o salários deles. Afinal de contas estamos em crise mesmo, ou é uma questão de falta de dignidade?

  3. Como acreditar nas suas informações? Acima está escrito que o meu endereço não será publicado e o meu comentário está aguardando moderação. ABAIXO ESTÁ PUBLICADO O TEXTO E O MEU ENDEREÇO. Em quem acreditar?

  4. Salário bruto de 26.000 reais, sem desconto algum, concordo, porém que pagassem todos seus gastos desse dinheiro e sabemos que esse entra limpo a toque de caixa no bolso e os nobres deputados .
    Outra que tivessem estudo de nivel superior e pós em adm publica no minimo.

  5. Waldemar
    De que maneira podemos diminuir o numero de parlamentares e atrelarmos seus salários ao minimo
    nacional.
    Só assim termos condições de termos parlamentares interessados no bem estar do Povo.

    1. Bom dia, por estas razões sou a favor no corte de números de Senadores e Deputados Federais,pra que tanto desperdício,com dinheiro publico,temos 27 Estados Brasileiros se fizéssemos dois Senadores por Estado e o mínimo de Deputados Federais,estaria de bom tamanho.

  6. Infelizmente curso superior não é sinônimo de honestidade, e os mais atuantes não são os letrados, gostaria que os deputados apenas fizessem jus ao que recebem.

  7. Deem uma olhada na PEC 105/2015 para redução de cadeiras no congresso (senado diminui para 54 e câmara para 386). Assinem on line.

  8. Os políticos do brasil perderam a noção do que é moral e do que é política. É triste, mas é a verdade. Todos têm belas palavras em seus discursos, mas poucos ou quase nenhum ou nenhum pensam no país como um todo. São um bando de demagogos e aproveitadores, salvo alguma rara exceção que desconheço.
    O engraçado é que a crise só atinge os trabalhadores que ganham um salário mínimo ou um pouco mais que isso, que perdem seus empregos ou veem seus gastos aumentarem desproporcionalmente aos seus rendimentos, mas para eles nem se cogita uma redução de salário ou o estabelecimento de medidas para conter gastos ou, ainda, uma lei que atrele todas as despesas de um político ao respectivo subsídio, ou quem sabe a criação de concursos para os cargos de assessor, para moralizar este instituto, além de uma redução no número de parlamentares.
    Agora imaginem uma situação em que o desemprego cresce, a pobreza aumenta, as empresas fecham, o país está em crise, mas a classe política continua com todas as suas mordomias, gastando milhões de milhões com altos salários, viagens e auxílios diversos. Este seria o contexto típico para a ocorrência de uma grande revolução que marcaria a história de nosso país, com o estabelecimento de uma nova democracia e de uma nova Constituição, em que o sentido da palavra política estaria de novo atrelado ao atendimento das necessidades do povo. É lógico que isso é utopia.
    Historicamente, o Brasil é um país explorado, ou melhor, espoliado, pois aqui o suor de muitos alimenta a riqueza de poucos. Em resumo, primeiro a metrópole, depois as elites oligárquicas, agora as elites políticas, a mando das elites econômicas, sugam a riqueza de nosso país, e, até mesmo, a dignidade de seu povo.
    Se estes que estão no poder realmente entendessem o significado de política, investiriam prioritariamente na educação do povo. Este é o único e principal caminho para a revolução. Mas é disso que eles têm medo…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *